sábado, 23 de outubro de 2010

Repositórios de vídeos

          Esta semana discutiremos um pouco sobre repositórios de vídeos, mais especificamente sobre o Youtube EDU. Assim como os repositórios de fotografias, os de vídeos selecionam, tratam, organizam, recuperam informações - no caso, multimídias (vídeos) - além disso, são fontes de pesquisa dos usuários da Internet. Os repositórios tem, portanto, a função de armazenar e disponibilizar vídeos (filmes e desenhos, videoclipes e gravações caseiras) seja de forma gratuita ou que tenha algum custo.
          Focando o post nos repósitórios de vídeos educativos, os objetivos destes vão além do disponibilizar vídeos, pois buscam dar suporte a professores, educadores, estudantes, pais, no ensino e na criação dos adultos, jovens, adolescentes e crianças. Bruno Thadeu, autor da sessão de Educação do Guia do Bebê do site http://guiadobebe.uol.com.br/, questiona e responde "[ . . . ] o que caracteriza um vídeo educativo? É tudo aquilo que é exibido em forma de documentário, filme ou desenho com o intuito de passar um lição de moral à criança, estimulando-a no seu aprendizado e desenvolvimento.". O Youtube Edu, foi criado pelo Google exatamente para armazenar e apoiar educadores, pais, etc, na educação de seus alunos e filhos. Este repositório possui uma lista de Canais onde podemos filtrar nossa busca diretamente por u, assunto específico, como Entretenimento, Filmes e desenhos, música, e ainda há uma caixa de busca no Youtube Edu. Fiz uma busca pela palavra 'biblioteconomia' e obtive como resultado seis vídeos, na língua portuguesa brasileira e espanhola. Os vídeos são disponibilizados gratuitamente aos usuários da Internet, e é possível darmos nossa opinião sobre o vídeo - há uma caixa de texto para escrevemos - votarmos se gostamos ou não e compartilharmos o material no Facebook e Twitter (redes sociais). Assim funciona o Youtube de forma geral, que, aliás, foi fundado em fevereiro do ano de 2005, com sede localizada na Califórnia, EUA.
          Há um outro ponto interessantíssimo no repositório de vídeo Youtube, os usuários podem disponibilizar vídeos pessoais, dando a oportunidade para os internautas de interagirem de forma mais profunda com o 'mundo virtual'. Infelizmente há muitos indivíduos que não usufruem desta oportunidade de forma coerente, inteligente e que contribua com o crescimento intelectual e emocional de outros, mas apresentam vídeos que muitas vezes até agridem o ser humano. De qualquer maneira, os repoitórios de vídeos educativos, especialmente o abordado no post, tem ajudado de forma dinâmica muitas pessoas no seu desenvolvimento pessoal e profissional.



Referências

THADEU, Bruno. Aprendendo com os vídeos educativos. Guia do bebê. UOL. São Paulo, [2010?]. Disponível em: <http://guiadobebe.uol.com.br/bb5a6/aprendendo_com_os_videos_educativos.htm>. Acesso em: 19 out. 2010.

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Vídeo


          Por volta dos anos 70, o vídeo surge no Brasil, tornando-se um dos fenômenos culturais que permanece e cresce ainda hoje. Do mesmo modo que a fotografia, o vídeo pode ser produzido de forma analógica ou digital, como diz Barreto (2007), "O vídeo é uma tecnologia de processamento de sinais eletrônicos, que podem ser analógicos ou digitais, desenvovlida para apresentar imagens em movimento.". Atualmente, podemos produzir um vídeo, mesmo que por um tempo curto (5 minutos, por exemplo), até em um celular, se este for desenvolvido com esta capacidade. Mais uma vez observamos o grande avanço da tecnologia.
          O vídeo online está entre as principais fontes de informação da Internet, e o maior exemplo de repositório de vídeos que podemos destacar é o youtube. É muito interessante observarmos que há professores, principalmente no meio acadêmico, que tem utilizado o vídeo para dinamizar as suas aulas, alternando a comum aula-expositiva com apresentações de vídeos e debates sobre o que foi assistido. Segundo Fernanda Ângelo (2010), autora dos textos do site IT Careers, Convergência Digital, muitos profissionais, especialmente da área de Tecnologia da Informação e Comunicação, tem buscado informações sobre a sua profissão em vídeos publicados no meio virtual. Eggert e Martins (1996, p. 46) já diziam em seu projeto de divulgação da profissão de bibliotecário que o vídeo é "[ . . . ] um instrumento atrativo e facilitador de divulgação [ . . . ]" e que é "[ . . . ] apropriado como fonte e veículo de informação.".
          O profissional da informação pode explorar a ferramenta vídeo para apresentar os serviços oferecidos pela sua instituição, até mesmo as suas funções como bibliotecário, ou arquivista, ou museólogo, indo um pouco mais além da (necessária) busca pela melhor forma de organização e indexação para faciltar ao usuário o encontro de informações sobre as coleções que também abrangem o vídeo, como cds e dvds, e ainda em algumas instituições, fitas de vídeo.
          Discutiremos ainda sobre a importância do vídeo como fonte de informação no próximo post.

Referências

ÂNGELO, Fernanda. Vídeos online são fonte de informação para 70% dos profissionais de TI. IT Careers, Convergência Digital. São Paulo, 06 out. 2010. Disponível em:
<convergenciadigital.uol.com.br/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=23951&sid=6>. Acesso em: 06 out. 2010.

BARRETO, Juliano Serra. Desafios e avanços na recuperação automática da informação audivisual. Ciência da Informação, Brasília, DF, v. 36, n. 3, p. 17-28, set./dez. 2007. Disponível em: <www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-19652007000300003&lng=pt&nrm=iso>. Acesso em: 8 out. 2010.

EGGERT, Gisela; MARTINS, Maria Emilia Ganzarolli. Bibliotecário. Quem é? O que faz? Revista ACB: biblioteconomia em Santa Catarina, Florianópolis, Florianópolis, v. 1, n. 1, p. 45-48, 1996. Disponível em: <revista.acbsc.org.br/index.php/racb/article/download/310/351>. Acesso em: 7 out. 2010.